Artigos Relacionados

Categorias:

Tudo sobre a cirurgia de retirada da vesícula biliar

Se você está se preparando para a cirurgia de retirada de vesícula biliar, conhecida também pelo nome técnico de colecistectomia, saiba que este artigo é para você. Aqui, reunimos não apenas as principais dúvidas dos pacientes quanto a esse procedimento como também as características do mesmo.

Afinal de contas, quando recebemos a indicação médica de que será necessário passar por uma cirurgia, a cabeça fica repleta de anseios, medos e expectativas, não é mesmo? Foi pensando nisso que reunimos essas informações, para que você possa entender melhor como funciona o procedimento, os cuidados pré e pós operatórios e, assim, aliviar as emoções.

Dito isso, confira um pouco mais sobre o assunto:

Quando a cirurgia de retirada da vesícula é necessária?

Antes de mais nada, precisamos entender porque e quando a cirurgia de colecistectomia é realmente necessária. Em suma, o motivo mais comum é justamente o diagnóstico de cálculo biliar, ou seja, de pedras na vesícula. Nesse caso, pode existir tanto um único cálculo como múltiplos.

Os cálculos de biliar são identificados por meio de exames de imagem. Além disso, a cirurgia para retirada dos mesmos pode ser indicada quando é verificada a presença de pólipos e/ou alterações nesse órgão que sejam suspeitas de câncer na vesícula. 

Ainda que na maioria das vezes a colecistectomia seja feita de forma programada ou eletiva, ela também pode ser realizada em caráter de urgência. Isso é muito mais comum quando existem sintomas associados, como cólica e dor intensa, o que pode ser um sinal de inflamação e/ou infecção, sendo necessária a realização da cirurgia para prevenir possíveis complicações. 

Como é o pré-operatório da cirurgia de vesícula?

Antes de se realizar uma cirurgia de retirada vesícula, ou qualquer outro tipo de cirurgia, são solicitados exames pré-operatórios com o objetivo de avaliar o estado geral de saúde do paciente. Além disso, é feita uma boa investigação clínica por parte do seu médico, em busca de doenças associadas e que precisam estar compensadas para a realização da cirurgia eletivamente, como o diabetes e a hipertensão arterial. 

Na grande maioria das vezes, os exames pré-operatórios com sistema de exames de sangue e exames cardiológicos. Em alguns casos, inclusive, são requeridos também exames de imagem complementares. 

Também é indicado ao paciente que, nas duas semanas anteriores à cirurgia, mantenha uma alimentação mais leve, com redução do consumo de alimentos inflamatórios e ultraprocessados. Além disso, é necessário evitar também o consumo de cigarros e bebidas alcóolicas. 

Todas as medicações que são de uso contínuo precisam ser avaliadas pelo seu médico. Isso porque existe a necessidade de suspensão de algumas medicações que podem alterar a coagulação sanguínea ou, até mesmo, o esvaziamento gástrico, por exemplo.

Por fim, no dia da cirurgia, o paciente deverá realizar um jejum de no mínimo 8 horas. O jejum é de suma importância para evitar riscos com a anestesia geral a qual o paciente será submetido para passar pelo procedimento. 

Como é realizada a retirada da vesícula biliar?

A cirurgia de retirada da vesícula biliar pode ser realizada de duas formas. Uma delas diz respeito a um procedimento por videolaparoscopia, a qual é feita com três ou quatro furos no abdômen, por onde o médico passa um instrumento cirúrgico e uma pequena câmera para realizar a cirurgia com a menor manipulação e cortes possível.

Essa é uma cirurgia de recuperação muito mais rápida, com menos dor e uma quantidade bem menor de cicatrizes. Nesse tipo de procedimento, injeta-se um gás na barriga para que o espaço para se trabalhar a retirada da vesícula seja mais amplo e mais fácil de visualizar. Confira: 

A outra forma de retirada de vesícula biliar é por meio de uma cirurgia aberta, ou seja, com corte. Ela é feita por meio de um corte maior no abdômen para a retirada da vesícula. Além disso, costuma envolver uma recuperação mais demorada, assim como deixa uma cicatriz maior e mais visível. Hoje em dia, esse procedimento é pouco usado, em função dos benefícios da laparoscopia – que é muito superior à técnica aberta.

Vantagens da operação por videocirurgia

O fato é que realizar uma operação por videocirurgia, a exemplo da retirada da vesícula biliar, conta com uma série de vantagens. A principal delas é a recuperação extremamente rápida do paciente. Na grande maioria das vezes, os pacientes ficam internados no hospital de apenas 12 a 14 horas depois do procedimento, podendo retornar ao trabalho e realizar todas as atividades que não necessitam fazer muita força em 1 ou 2 semanas. 

Confira quais são as vantagens: 

  • Pouca dor pós-operatória;
  • Cicatriz cirúrgica mínima;
  • Risco de infecção pequeno;
  • Alta hospitalar precocemente;
  • Retorno às atividades diárias com mais rapidez.

Pós-operatório da cirurgia de retirada da vesícula biliar

A dúvida de muitas pessoas quanto a cirurgia da retirada da vesícula biliar é justamente como funciona o pós-operatório. Para isso, é preciso entender alguns pontos que estarão presentes nesse processo:

Alta hospitalar

A alta hospitalar para um paciente que realizou a cirurgia de retirada da vesícula biliar costuma ser dada no mesmo dia da cirurgia. Em alguns casos, o tempo chega a 24 horas, por exemplo.

Náuseas e vômitos

Uma das características comuns do pós-operatório de uma cirurgia de retirada da vesícula biliar é a ocorrência de náuseas e vômitos. Geralmente são episódios curtos e temporários, mais presentes nas primeiras 24 horas.

Dor e desconforto pós-operatório

Depois de acordar da anestesia, o paciente poderá sentir um desconforto na região do abdômen, o qual também pode irradiar para a região do ombro ou escápula. Esse desconforto pode ser facilmente resolvido com o uso de analgésicos e anti-inflamatórios de uso comum.

Esforço físico

Uma vez que você recebeu alta hospitalar após a cirurgia de retirada da vesícula biliar, poderá iniciar os seus cuidados em casa. No entanto, é importante realizar pequenas caminhadas ao longo do dia, sem levantar peso ou fazer grandes esforços.

Vale ressaltar que, ainda que seja indicado não realizar grandes esforços, é necessário se movimentar. Isso porque a movimentação do corpo também contribui com a recuperação, evitando complicações como trombose venosa ou complicações respiratórias, as quais podem surgir após a realização de cirurgias de um modo geral.

Volta ao trabalho 

A volta ao trabalho, assim como outras atividades do dia a dia, como dirigir ou fazer exercícios leves, só devem ser iniciados após uma semana. Isso no caso da cirurgia por laparoscopia.

Alimentação 

O fato é que não é necessária uma grande modificação da dieta após a realização da cirurgia de retirada da vesícula biliar. A indicação dada aos pacientes é justamente tentar evitar alimentos pró-inflamatórios, assim como alimentos que causam gases e estufamentos, nos primeiros dias de recuperação.

A ideia da dieta líquida e pastosa com grandes restrições alimentares no pós-operatório de uma colecistectomia é nada mais nada menos do que um mito. Confira o vídeo abaixo:

É importante você saber 

É importante você saber que a produção da bile pelo fígado continua normalmente após a retirada da vesícula. Não existe nenhuma sequela ou consequência para o organismo após a retirada da vesícula. 

Higiene do local operado e cuidados com pontos e cortes

Depois de fazer a cirurgia de retirada da vesícula biliar, é preciso ter cuidado com os cortes. Estes devem ser mantidos secos e limpos. Atualmente, após o fechamento dos cortes com pontos de fio cirúrgico, é utilizada uma cola cirúrgica como curativo, a qual ajuda a impermeabilizar a incisão, diminuindo o risco de infecção e facilitando os cuidados da região, de uma maneira geral.

Depois da cirurgia, o médico fará algumas recomendações de  como proceder com a troca do curativo se for necessário. Da mesma forma, ele irá orientar sobre o momento certo da retirada dos pontos.

Inchaço e secreção

É normal, depois da cirurgia, ficar um pouco inchado, vermelho ou roxo ao redor das incisões. Nesses casos, pode inclusive vazar um pouco de secreção serosa, um líquido claro amarelado, sobretudo ao redor da incisão da região umbilical.

Ritmo intestinal após cirurgia de retirada da vesícula biliar

Depois que você realizar a cirurgia de retirada da vesícula biliar, o seu ritmo intestinal poderá ficar alterado nos primeiros 5 dias. Sendo assim, é indicado uma dieta laxativa, mais rica em fibras, e, se necessário, pode ser feito o uso de laxativo temporariamente para uma melhor resolução do quadro.

Quais são os riscos da cirurgia de retirada da vesícula biliar?

Outra dúvida comum das pessoas quanto à cirurgia de retirada da vesícula biliar é: quais são os riscos? Em suma, os riscos para esse procedimento são mínimos. No entanto, os mais graves dizem respeito a hemorragia ou infecção, as quais podem ocorrer, na verdade, em qualquer intervenção cirúrgica.

Sendo assim, é aconselhado ir imediatamente ao pronto-socorro se surgir uma febre superior a 38ºC, se a ferida operatória estiver com pus, se a pele e os olhos ficam amarelos ou, até mesmo, se surgir falta de ar, vômitos ou dor intensa que não melhora com medicações prescritas. Em todos esses casos, é preciso procurar um hospital. 

Compartilhe: